Design a site like this with WordPress.com
Iniciar

Solares de Portugal – Viajar no tempo, habitar o património… (2020)

Pernoitar num dos Solares de Portugal é usufruir da calorosa hospitalidade e boas–vindas, que são uma arte das famílias portuguesas. É também conviver com um património rico em história e cultura e com uma secular tradição que os donos das casas partilham com os seus hóspedes, de modo cortês e simples.

Advertisement

Desde a primeira hora, os Solares de Portugal, acompanham e apoiam o projecto Viagens ao Virar da Esquina.

Solares_logo_mini

No ano passado visitei 4 dos mais de 120 alojamentos espalhados pelo território nacional e, em 2020, apenas acrescentei mais 2 a essa lista por força da situação que vivemos.

Os Solares de Portugal possuem no seu portfolio mansões, solares, quintas e casas dispersos por todo o território nacional, que estão disponíveis para quem nelas se queira acolher. Fazem parte do património arquitectónico de Portugal e são repositório da sua História e das muitas histórias locais que contribuíram para a cultura e tradição do nosso País.

Mais do que apenas pernoitar, conhecer a história e desfrutar da estadia passando dias agradáveis nos Solares de Portugal é usufruir da calorosa hospitalidade e boas–vindas, que são uma arte das famílias portuguesas. É também conviver com um património rico em história e cultura e com uma secular tradição que os donos das casas partilham com os seus hóspedes, de modo cortês e simples.

A oferta dos Solares de Portugal divide-se em três categorias: Casas Antigas, Quintas e Herdades e Casas Rústicas, consoante a sua imponência, quer na dimensão, espaços envolventes e jardins, quer na decoração e peso histórico.

As Casas Antigas caracterizam-se pela sua arquitectura erudita e muitas delas remontam aos séculos XVII e XVIII. Nas Quintas e Herdades, o acolhimento faz-se num ambiente mais rural, pois estas casas constituem o assento de lavoura, ainda vivo e palpitante, da propriedade agrícola em que se enquadram.

Para quem preferir usufruir da calma da vida do campo, existem as Casas Rústicas, com grande valor etnográfico, na medida em que usam na sua arquitectura – simples e de pequenas dimensões – materiais e processos construtivos caracteristicamente locais.

Desta feita, e no âmbito de algo que começou por ser uma parceria e é hoje uma amizade, conheci mais dois Solares de Portugal , agora bem a Norte de Portugal.

Aqui fica o resumo!

Guimarães e a Casa do Ribeiro

Já sabemos: é o Berço da Nacionalidade! Aí foi proclamado o nascimento de Portugal, foi a primeira capital do País e, ainda hoje, é a residência oficial – o Paço dos Duques de Bragança – do Presidente da República quando se desloca ao Norte do País (poderemos assim dizer, nesta perspectiva, que é a nossa segunda cidade-capital).

VVE017
Palácio dos Duques de Bragança

É difícil fugir dos clichés quando falamos de Guimarães, tal é o seu peso na História de Portugal e na nossa memória colectiva.

VVE000
“Aqui nasceu Portugal”…

O Castelo, o Paço dos Duques de Bragança, , o bonito e simbólico Largo da Oliveira, as ruelas do seu centro histórico bem cuidadas, o bom estado de conservação das muitas casas com uma arquitectura bem característica. Tudo denota o carinho devotado à preservação da memória na Cidade- Berço. 

VVE011
Castelo de Guimarães

Foi no Largo da Oliveira que encontrei o Guimarães das Duas Caras. E a história que me levou a Guimarães.

VVE034
O “Guimarães das Duas Caras” (Largo da Oliveira)
Na Casa do Ribeiro

A meia dúzia de quilómetros da cidade de Guimarães encontrei a Casa do Ribeiro. Típico solar minhoto com uma fachada branca, debruada a granito e um portal imponente, encimado pelas armas da família. À direita, a original capela.

40 - Casa do Ribeiro-fachada
Casa do Ribeiro

Passado o portão de entrada depara-se-nos o pátio interior. Duas escadas confluem na porta principal. No 1º piso o Solar propriamente dito e no piso térreo as antigas instalações dedicadas à lavoura, duas das quais já convertidas à utilização pelos visitantes da Casa do Ribeiro.

VVE039

A sua construção data de finais do Séc XVII e tem permanecido na família desde então. A casa, apesar de em diferentes momentos ter sido alvo de obras de recuperação, mantém a sua traça original, a presença cuidada do mobiliário de época com que sucessivamente foi enriquecida e, naturalmente, a presença vigilante dos nobres antepassados através dos seus retratos que preenchem algumas das paredes.

VVE048

Quando, vindo do pátio, entrei na porta do primeiro piso, subido que foi um dos lanços laterais das escadas de granito, deparei-me com uma linda liteira que ostenta numa das portas o brasão familiar, visível também na magnífica tapeçaria que lhe serve de cenário…

VVE041

…o resto da descrição deste magnífico solar e da forma excepcional como fui acolhido está em: “Guimarães e a Lenda das Duas Caras

Chaves e a Quinta da Mata

 Tenho particular carinho por Chaves. Sinto-me lá bem. E de cada vez que por lá passo…fico deslumbrado pela beleza da Ponte de Trajano sobre o bonito rio Tâmega. Ex-líbris desta cidade que tem muito, muito mais para nos dar.

VVE000
Ponte de Trajano

A Aqua Flaviae do tempo dos romanos é uma cidade cuja importância histórica ultrapassa em muito a existência de Portugal. Devido à sua posição estratégica na confluência das rotas que levavam à Bracara Augusta (a Braga de então) e também à riqueza das suas águas termais que os Romanos tanto valorizavam.

VVE005
Paços do Concelho e estátua de D. Afonso III

E é desses tempos que remonta a lenda que dá origem ao nome da cidade: a Lenda das Duas Chaves. 

Na Quinta da Mata

Um enquadramento luxuriante serve de moldura à dureza do granito e ao requinte do interior.

VVE012
Vista do Miradouro

Situada a 3km da cidade, a meio caminho do Miradouro que, a nascente, nos proporciona uma magnífica vista sobre a cidade e todo o vale onde se situa, é uma verdejante propriedade onde a casa principal, toda em granito e originária do Séc. XVII foi estupendamente recuperada das ruínas pelos seus actuais proprietários. A quinta adjacente fornece ainda muitos dos géneros alimentares que ali poderão ser degustados.

13 Quinta da Mata
Quinta da Mata

A Quinta da Mata é um recanto extraordinário para desfrutarmos de uma estadia que se prolongue por mais que a mera pernoita. Porque toda a envolvente natural que a rodeia a torna verdadeiramente aprazível e aos seus pés a cidade de Chaves com toda a riqueza histórica e o carisma e personalidade de uma terra de gente valente que sabe valorizar o que a natureza lhe dá.

VVE013
Quinta da Mata – pormenor do interior

Para ficar a conhecer melhor a Quinta da Mata, o seu enquadramento espectacular e a histórica cidade Chaves, nada como ler aqui: “Para lá do virar da esquina, a Lenda das Duas Chaves“.

–xxx–

Visitas anteriores a Solares de Portugal

 Em 2019 tive a oportunidade de conhecer: 

 Cujo resumo está aqui:

Solares de Portugal – Viajar no tempo, conhecer o património

Para terminar, testemunhar a gratidão de Viagens ao Virar da Esquina pelo apoio, entusiasmo e amizade com que, desde o primeiro momento, fomos brindados por todos nos Solares de Portugal! Bem haja!

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: